Quando pensamos em varejo eletrônico, assim como acontece no ambiente físico, os responsáveis pelas vendas não são apenas os marketplaces ou os canais digitais. O papel da indústria de auxiliar o impulsionamento das vendas é cada vez maior, fornecendo dados sobre o mercado e o desempenho dos produtos e também colaborando com insights e estratégias em prol do aumento do faturamento.

Dentro deste contexto, é essencial que a indústria conceda todas as informações necessárias para compor o material de venda e merchandising de um produto. Por exemplo: fotos de excelente qualidade, manuais completos sobre o funcionamento ou as características técnicas de um item, vídeos de apresentação, entre outros tópicos, são fundamentais para dar maior segurança sobre os benefícios de uma mercadoria e levar o consumidor a efetivar a compra.

Além de fornecer todas as informações e ilustrações necessárias, a indústria pode colaborar no monitoramento da precificação para garantir valores competitivos, além de analisar como está a imagem da marca na internet e o engajamento nas redes sociais. Aliás, em tempos em que todos estão conectados, é imprescindível cuidar desses aspectos para não deixar que reclamações e opiniões negativas prejudiquem o desempenho das vendas.

Pensando nisso, listamos quatro tópicos importantes que devem ser observados com muito critério junto aos canais digitais, para que a marca tenha uma boa performance no varejo eletrônico.

4 passos para melhorar a performance no varejo eletrônico

1. Torne seu produto visualmente atrativo no site

Na internet, a frase “uma imagem vale mais do que mil palavras” é ainda mais verdadeira. Levando em conta que no ambiente virtual o consumidor compra o produto sem pegá-lo nas mãos, é fundamental fornecer imagens de todos os ângulos e com qualidade adequada para a internet.

Outra tática que costuma funcionar é apresentar fotos ou vídeos que mostrem a aplicação prática do produto. Por exemplo, se a marca está vendendo um secador de cabelos ultrapotente, pode-se produzir imagens ou cenas de uma pessoa utilizando essas funções do aparelho e o resultado final do uso.

Nesses casos, sempre que possível, utilize fotografias e vídeos feitos por um profissional, que saberá as condições necessárias para melhor exposição, para que o produto seja bem ilustrado e exemplificado.

LEIA TAMBÉM: Como o trade marketing digital pode evitar perdas no e-commerce

2. Esteja atento aos preços praticados

Sabemos que o preço é um dos principais decisores de compra. No mundo virtual, isto não é diferente: 58% dos usuários consideram este o fator mais importante para definir a aquisição de um item na internet, segundo aponta pesquisa da PwC.

No varejo físico, comparar preços é muito mais trabalhoso para o consumidor. Exige disposição para ir de loja em loja em busca do menor valor, promoções e descontos. Já no ambiente virtual, é muito prático e rápido analisar o que é mais vantajoso para o bolso. Bastam alguns cliques para checar todas as informações necessárias.

Por isso, os fabricantes precisam verificar constantemente como a política de precificação de seus produtos está sendo adotada nos mais diferentes canais digitais. Em algumas categorias, como por exemplo tecnologia e eletrodomésticos, a disputa de preços é ainda mais acirrada. Por isso, é importante estabelecer um valor compatível com o praticado no mercado.

Para ajudar nessa tarefa, já que há uma infinidade de produtos e canais de venda, as indústrias podem lançar mão do monitoramento automático, com tecnologias que auxiliem o levantamento de tais indicadores. Também é importante se atentar para ações promocionais e ofertas de kits pela concorrência, para não perder vendas.

3. Forneça as informações necessárias ao público

Seguindo a mesma premissa das fotografias, no varejo eletrônico é necessário fornecer o maior número possível de informações ao cliente, já que não existe um vendedor de plantão ali para tirar dúvidas. Desta forma, é importante incluir a publicação de dados técnicos – os mesmos que o consumidor leria no rótulo, por exemplo, caso comprasse o produto em uma loja física –, além das funcionalidades, cores e modelos disponíveis.

Vale lembrar que a descrição correta de uma mercadoria no e-commerce é importante tanto para a orientação do consumidor como para as possíveis pesquisas por tipo de produto ou por marca dentro da própria loja virtual ou até mesmo para aparecer melhor ranqueado nos resultados de mecanismos de busca como o Google, por exemplo.

4. Mantenha-se atuante nas redes sociais

Captar as tendências de consumo é uma excelente maneira de melhorar a performance de vendas no varejo eletrônico. Se você sabe o que o seu público quer fica muito mais fácil criar estratégias para atingi-lo em cheio.

Sabemos que hoje a maioria dessas tendências surge nas redes sociais, onde os consumidores passam a maior parte do tempo opinando e trocando ideias sobre os mais variados temas. Portanto, estar presente e atuante nesse ambiente é imprescindível para captar novas ideias.

Além disso, o contato direto com o público via redes sociais possibilita o recebimento de feedbacks imediatos e também a resolução rápida de pequenos problemas e conflitos que possam tomar uma dimensão maior e prejudicar a imagem da marca no varejo eletrônico.

VEJA TAMBÉM: Mercado deve estar atento a consumidor omnichannel